Equipe de Alta Performance – Como atrair e reter talentos

Por 16 de setembro de 2019Sem categoria

Estudos recentes mostram que os funcionários de alta performance são até 400% mais produtivos do que os médios e essa lacuna aumenta conforme a complexidade do trabalho. Em ocupações nas áreas como gestão de pessoas, desenvolvimento de software e afins, os funcionários de alto desempenho são, surpreendentemente, até 800% mais produtivos.

Dessa forma, sem dúvida, contar com esses profissionais é um grande diferencial para o sucesso das organizações. Alcançar esse objetivo, no entanto, é um grande desafio, pois cada vez mais as organizações precisam ter uma boa estratégia de atração, contratação e retenção de talentos, nas quais as organizações e as pessoas exercem papéis fundamentais.

Fase de atração e contratação

Até pouco tempo atrás, o poder de escolha estava nas mãos das organizações. Bastava a publicação de uma boa vaga para dezenas de pessoas se candidatarem e a empresa tinha o prazeroso papel de escolher para si a melhor opção. Hoje em dia, isso é muito diferente. O processo passou a ser bilateral e cabe aos dois lados venderem-se como a melhor opção, desde a divulgação da organização e da vaga, passando pela apresentação de um bom perfil, pelos primeiros contatos entre ambos, testes, entrevistas, até o aceite final da proposta pelo candidato. Tudo é analisado por ambos os lados para a tomada de decisão.

Fase de retenção

Após a contratação, os primeiros meses são os mais importantes para que essa nova relação seja duradoura. Na percepção do candidato, a empresa precisa estar realmente comprometida em conhecer e desenvolver suas pessoas e ajudá-las a atingir suas metas profissionais e pessoais. Do lado das organizações não é diferente, pois o ex-candidato e, agora, parceiro e colaborador, deve ser capaz de ajudar a empresa a atingir suas metas, com comprometimento e qualidade.

Em linhas gerais, para que as relações sejam duradouras, são determinantes as trocas realizadas entre as organizações e as pessoas.

Para as organizações, podemos resumir de uma forma bem simples o que é esperado: a contribuição do colaborador para seu resultado. Já para as pessoas, vale muito: o reconhecimento, plano de carreira, aprendizado, confiança, apoio, liderança, transparência e propósito.

Para elas, os elementos mais valorizados são os grandes líderes que inspiram, dão suporte, empoderam e focam no desenvolvimento de sua equipe; as organizações com valores, culturas fortes e contribuição à sociedade; propósito, oportunidades de crescimento individual e profissional e impacto social; e recompensas, como salário, benefícios e outras formas (financeira ou não) de reconhecimento.

Além disso, a qualidade de vida tomou grandes proporções e condições alternativas de trabalho, como home office, trabalho por meta, horário flexível, incentivo ao esporte, a saúde, integrações e eventos internos ganharam espaço no catálogo de benefícios desejáveis.

Na Peers

Aqui, tratamos esse tema como estratégico, com muito carinho e atenção.

Há um constante movimento pela qualidade de vida, que busca atender às necessidades e desejos pessoais, fornecendo um ambiente propício para que as pessoas consigam exercer seus hobbies, praticar esportes e perseguir seus sonhos.

Desenvolvemos um plano de carreira definido e claro, com um processo de feedback realizado por nossos executivos, que visa ao reconhecimento e à meritocracia.

Temos em nosso DNA a prática de desenvolvimento. Para tanto, realizamos treinamentos para nossos consultores, grupos de debates de cases mensais, e valorizamos a transparência, com reuniões trimestrais, nas quais compartilhamos os resultados da empresa, onde estamos e os novos desafios que estão por vir.

Toda essa agenda com foco em transparência e desenvolvimento humano mostra como, na Peers, valorizamos e investimos no nosso principal capital: as pessoas.

Ficou interessado? Entre em contato conosco e venha fazer parte da Peers.

Deixe seu comentário