Fortalecimento da Tesouraria: Processo vital para a saúde financeira das empresas

Guilherme Varro

Guilherme Varro

Tempo de leitura 3 minutos

Categoria Finance

A Tesouraria desempenha um papel crucial na gestão de recursos financeiros de uma empresa, das operações e controle do fluxo de caixa até investimentos e financiamentos a curto e longo prazo. Além disso, antecipa e equilibra necessidades e disponibilidades de recursos, frente a balizadores de retorno, risco e compliance.

O desempenho da Tesouraria pode ser avaliado por indicadores como níveis de liquidez e endividamento, custo de capital e resultado financeiro, atuando em funções como Planejamento Financeiro, Contas a Pagar, Contas a Receber e Administração de Caixa e Bancos. No Brasil, tem uma responsabilidade ainda mais impactante nos resultados, face às elevadas taxas de inflação, juros reais e variações de spreads bancários.

PROMOÇÃO DO INVESTINGPRO: Tenha 10% de desconto adicional na promoção de Ano Novo, que já possui preços até 50% OFF. Use o cupom “INVESTIR” para o plano Pro+ anual ou “investirmelhor1” para o plano Pro+ 2 anos. Apenas até 31 de janeiro!

O Planejamento Financeiro projeta entradas e saídas de recursos, balanceando disponibilidade de caixa para as operações, custo de capital e rentabilidade sobre ativos, considerando cenários, incertezas internas e externas e contingências em captações e aplicações de recursos. Assim, a integração com Planejamento Orçamentário e Controladoria é fundamental para analisar visões planejadas e realizadas, entender determinantes de diferenças e atuar sobre causas de erros.

No dia-a-dia, as rotinas de Contas a Receber e Contas a Pagar demandam acuracidade de informações e controle tempestivo sobre as movimentações de entradas e saídas, desde sua originação (compras/despesas, vendas/receitas e realizações não-operacionais).

Contas a Pagar abrange um grande leque de funções, tais como:

  • Verificação, conciliação e registro de pagamentos

  • Movimentação e reconciliação bancária e de transações com cartões

  • Gestão de cadastros e pagamentos a fornecedores

  • Antecipação a fornecedores e gestão de duplicatas

  • Conferência e conciliação de movimentações financeiras, contábeis e fiscais

  • Controle de disponibilidades em caixa e em contas bancárias

 

Por sua vez, Contas a Receber gerencia a carteira de recebíveis, incluindo:

  • Monitoramento, conciliação e registro de valores a receber e contas vencidas

  • Gestão de cadastros e recebíveis de clientes

  • Identificação de transações e clientes com pagamentos em atraso

  • Gerenciamento de cobranças e negociações com clientes inadimplentes

  • Definição de estratégias de recebimento e cobrança, visando a redução de inadimplência e custo de transações

 

Para simplificar estas rotinas, muitas empresas adotam datas específicas para pagamentos e recebimentos, horários de corte e operações pré-agendadas. Adicionalmente, a Administração de Caixa e Bancos deve atuar em parceria com as áreas de negócio e instituições financeiras, alinhando políticas comerciais e financeiras e negociando taxas para reduzir volatilidade e custo transacional e elevar o resultado financeiro, segundo normas de gestão de risco e compliance.

A otimização do resultado financeiro está correlacionada com um equilíbrio entre prazos de recebimento e pagamento no ciclo financeiro, assim como uma boa acuracidade nas projeções de fluxo de caixa e acesso a opções competitivas de linhas de financiamento e investimento, que são favorecidas por maiores horizontes de aplicação e captação.

Entre as principais oportunidades de melhoria na Tesouraria, é relativamente comum identificar:

  • Descompasso, excesso de volatilidade e baixa acuracidade nas projeções de fluxo de caixa, frente à falta de análise e disciplina na definição e execução de processos e políticas comerciais e financeiras

  • Grande volume de transações manuais e consequente demanda por pessoal, face à falta de automação e integração de processos e sistemas entre os agentes participantes do ciclo financeiro

  • Limitação de visão e acesso sobre opções de engenharia financeira, devido ao baixo nível de sofisticação das operações e parcerias

Para o fortalecimento e evolução da Tesouraria, a otimização de processos e políticas, o fortalecimento de capacitações para operação e gestão, a integração entre áreas de negócio e a adoção de tecnologia analítica (seja nativa de ERPs ou através de aplicações especialistas) proporciona benefícios significativos, tais como:

  • Automatização de tarefas repetitivas, reduzindo risco de erros de entrada de dados ou cálculos incorretos

  • Acesso a informações em tempo real, viabilizando maior acuracidade das análises e maior agilidade para as operações

  • Redução de custos operacionais e financeiros

  • Simulações rápidas e precisas de cenários, visando melhoria na tomada de decisões

Um diagnóstico abrangente e estruturado sobre estágio de maturidade e desempenho da Tesouraria é um ponto de partida comum na busca por melhores resultados. Com um mapeamento robusto de problemas, oportunidades e clareza sobre caminhos de desenvolvimento, o esforço de otimização sempre se justifica, dada a dimensão do escopo financeiro e o espaço quase infinito para melhorias, considerando a constante e rápida evolução de práticas, tecnologias e parceiros no mercado.

Voltar para todos os artigos